A importância da Consistência

consistencia

Uma das queixas mais frequentes com que me deparo por parte das minhas mães relaciona-se com a dificuldade em encontrar um método comum defendido por todos os especialistas. Isto porque cada livro oferece uma solução diferente. Se uns autores defendem que os bebés devem dormir nas suas camas, outros alertam para os “perigos” de deixar uma criança sozinha no seu quarto. Há quem aconselhe métodos em que se deixa chorar e há quem se insurja contra esta “desumanidade”, convencendo-nos de que isso transforma as nossas crianças em bebés inseguros.

Mas para além dos livros sobre os diferentes métodos de diferentes especialistas, os pais chegam até mim ainda mais preocupados e confusos devido aos insistentes conselhos de auto proclamados experts no assunto. As sogras, as cunhadas, as vizinhas, as amigas que já têm filhos e até algumas amigas que ainda não os têm, mas que “ouviram dizer”, contribuem para gerar o caos.

Ora pense… Quantos foram os livros que leu sobre métodos que ensinam bebés a dormir? Quantas teorias ouviu de familiares e amigos bem-intencionados? Quantos artigos na internet pesquisou? Quantas foram as tentativas frustradas?
O problema do “excesso de informação” é o de ir fazendo do seu bebé uma cobaia.

Uma noite experimenta isto. Não resulta.

Então, na noite seguinte, experimenta aquilo. Não resulta.

Deixa de lado as ideias peregrinas durante umas semanas somente para recomeçar numa daquelas noites em que está particularmente desesperada pela privação do sono. Obviamente volta a não resultar.

O seu verdadeiro obstáculo é a inconsistência.

Qualquer que seja a forma como decide avançar deve estar carregada de resiliência, persistência e… consistência. Depois, deve ser temperada com grandes doses de paciência, amor e muito mimo. É importante dormir? Muito. O seu bebé vai dormir se todas as noites lhe passar mensagens diferentes? Não.
O seu bebé vai dormir quando o seu dia estiver organizado e ele descanse o tempo certo para a sua idade. Vai dormir quando for deitado num clima que propicie ao sono, inundado de segurança, conforto e amor. E quando o fizer, você vai ganhar a maior batalha de todas: a certeza de que o seu bebé se sente amado, mesmo que a mãe não esteja presente. Não há maior sentimento de segurança no mundo do que não precisar de presença física para sentir que a mãe está sempre “aqui”.

Trackback from your site.

You might also like

Leave a Reply