As “minhas” famílias estão cansadas – e precisam de ajuda

Pais cansados

Recebo dezenas de mensagens por dia no facebook. Mensagens de mães e famílias muitas delas cansadas, frustradas, exaustas. E recebo nas minhas consultas outras tantas famílias que procuram a minha ajuda para que todos em casa consigam dormir melhor. Talvez por lidar com tantas famílias que sofrem pela privação de sono veja apenas o lado “negro” do que é não dormir.
Talvez por isso insista tanto na necessidade de ensinarmos os nossos filhos a adquirir bons hábitos de sono.
Mas se é verdade que encontro o tal lado negro muito frequentemente, há dias em que me convenço ainda mais da urgência de não considerar “normal” que os nossos filhos acordem de 2h em 2h durante anos. Dias em que recebo notícias como a da mãe que adormeceu de cansaço com a filha de 19 meses nos braços e a deixou cair: a bebé fracturou nariz e braço. Ou do pai que adormeceu ao volante porque não dorme uma noite seguida há praticamente 3 anos.
Está mais no que na hora de não continuarmos a desvalorizar o sono.
Está mais no que na hora de não continuarmos a demonizar quem ensina os pequeninos a dormir.
Está mais no que na hora de deixar que as famílias se obriguem a acreditar que tudo é “normal”, que ser-se boa mãe e bom pai é ser-se abnegados o suficiente para aguentar o que um ser humano não aguenta.
Está mais do que na hora de se deixar de julgar, criticar, apontar.
É muito triste encontrar famílias com histórias como estas. Ou encontrar mães que me dizem “vim ter consigo porque percebi que cheguei ao meu limite quando dei uma palmada ao meu bebé a meio da noite por ele não dormir”.
Não é preciso – ou não deveria ser preciso – chegar a este ponto.
Há famílias que resistem bem ao passar dos meses e dos anos sem dormirem. Há.
Há famílias que continuam a ser felizes dessa forma. Há.
Mas também há muitas outras a quem a privação do sono abala de forma muito profunda. E também há muitas outras a quem a privação do sono não abala de forma tão profunda mas provoca danos.
Somos livres de escolher o que sentimos ser o melhor para nós e para a nossa família. Sem pressões.
Ao longo dos últimos anos, continuo a receber mensagens com fotos de bebés sorridentes e pais felizes! Porque dormem, porque descansam mais e porque agora aproveitam e vivem a parentalidade mais intensamente do que nunca! E isso, ao fim do dia, é o que conta de verdade!

Trackback from your site.

You might also like

Leave a Reply