Deixar Chorar e Níveis de Stress

A baby crying it out.

Como mãe é-me difícil conceber que deixemos os nossos filhos a chorar sozinhos num quarto até adormecerem. Como profissional também. No entanto, acredito que devemos ensinar as crianças a dormir. É exatamente por isso que estudei e procurei alternativas e as recomendo à maioria dos pais que me procuram. Desta forma, se os pequeninos acabarem por chorar por estarem a adormecer de forma diferente daquela a que estão habituados não o farão sozinhos – muito frequentemente nem choram pois as alterações são tantas que quando vão para a cama estão tranquilos e relaxados.
Digo sempre às mães para ficarem ao lado dos filhos, tranquilizando-os, acalmando-os, dando mimo, cantando… porque acredito que o nosso trabalho enquanto mães não é fazer por eles e sim estar por perto para os ajudar nesse caminho.

Ainda assim, quem propõe ensinar a dormir a bebés e crianças enfrenta grandes polémicas por parte de quem não vê os seus benefícios. Polémicas quase sempre relacionadas com a falta de apego e vínculo (como se fosse possível rotular o Amor que se sente, transformando-o num resultado do cumprimento ou não de uma série de requisitos) e com o nefasto aumento do cortisol – hormona do stress – nos bebés que são sujeitos ao ensino do sono.

Ensinar a dormir é defendido por pediatras de renome internacional como Brazelton ou Harvey Karp, por Academias de Pediatria, por cientistas e neurologistas do mundo inteiro (no nosso país é falado abertamente por nomes incontornáveis como a Prof.ª Teresa Paiva e o Prof. Mário Cordeiro).
Mas ainda assim, quando surgem estudos que nos indicam que os níveis de stress dos nossos filhos sobe quando são ensinados a dormir e permanece alto mesmo quando não choram é óbvio que isso nos preocupa.
Felizmente a ciência fala mesmo mais alto. Assim como o bom senso. A questão é que o stress tem diferentes níveis e não… não são todos tóxicos para o corpo. Pelo contrário! E o stress causado por bebés que choram enquanto são ensinados a dormir, tendo por base um ambiente familiar de amor e tranquilidade é equiparado ao stress que sentem, por exemplo, nos dias das vacinas ou em integrações pacíficas nas creches.
Mas e o que se responde quando nos dizem que dias depois de pararem de chorar o cortisol nos nossos bebés permanece alto? A verdade é que o estudo que refere este facto “esqueceu-se” de levar em consideração que os bebés estavam fora do seu ambiente. Os bebés testados estavam em contexto laboratorial e o seu stress aumentou desde o momento em que se encontraram num ambiente estranho. O estudo “esqueceu-se” também de fazer o mesmo teste em casa dos pequeninos para comprovar os aparentes resultados.

Estes são factos que quem estuda o sono conhece bastante bem, mas normalmente não os encontro tão bem explicados – e de forma tão simples e clara – como no artigo que hoje aqui partilho. A autora conseguiu agrupar os principais “papões” do sono, desconstruindo-os e desmistificando-os. E embora aqui se refira apenas a ensinar a dormir através do método “cry-it-out”, ou seja, deixar o bebé a chorar, visitando-o a cada x minutos – e aquilo que proponho às minha mães seja tão diferente porque implica presença e contacto físico constante, toque, voz e mimo – não posso deixar de dizer que este artigo ilustra bem as grandes polémicas à volta do sono dos nossos filhos.

Podem ler, clicando aqui: There’s nothing wrong with Cry-it-Out

 

Trackback from your site.

You might also like

Leave a Reply