Greve nas sestas?

bebé rolar
“O meu bebé deixou de querer dormir as sestas!”

As sestas são aliados inestimáveis para ajudar o seu bebé a permanecer saudável e feliz. Permitem impulsionar e desenvolver a memória, restauram a energia, melhoram a atenção, fortalecem o sistema imunitário e ajudam a baixar o nível das hormonas de stress (cortisol e a adrenalina). São, por isso, muito importantes para manter o seu filhote no caminho certo para o seu bom desenvolvimento físico e emocional. Dormir o suficiente durante o dia ajuda-o a aprender melhor, a reter nova informação mais facilmente e a interagir melhor com os seus pares. Os pais de crianças e bebés que não dormem bem à noite têm, quase todos, problemas com as sestas dos seus filhotes também.

Há bastante informação científica sobre a importância das sestas, e a maioria de nós – mesmo que não a conheça a fundo – sabe bem como ficam os miúdos quando não dormem a sesta. Há também informação útil sobre os intervalos de tempo apropriados entre sestas e a idade mais apropriada para as transições e alterações de horários. No entanto não há assim tanta informação disponível sobre “regressões de sono” ou “greves de sesta”.

 

Muitas mães comentam comigo que os seus filhos começam a ter algumas dificuldades para dormir de dia pelos 5 meses e meio. Antes disso corria bem, adormeciam facilmente… nessa altura passam a ficar no berço sem dormir ou agitam-se, choram e não querem ir descansar. E por vezes fazem-no em todas as sestas. Não apenas numa. Os dias começam a ficar caóticos, com bebés cansados e bastante mais irritados ao final do dia. Outras vezes, os bebés mantêm-se bem dispostos, mas com mães preocupadas porque sabem que eles não descansam o suficiente.

Quase sempre esta “regressão” coincide com grandes desenvolvimentos motores/cognitivos. Rolar nesta fase, por exemplo, é quase sempre sinal de que as sestas (ou até a noite) vai piorar durante uns tempos. Nem sempre significa ficarmos com bebés irritados e a chorar na cama. Por vezes é sinónimo de termos um bebé que aparenta estar cansado, molinho mas que mal é posto na cama começa a rolar e a rir espevitado! (safados!)

 

Na realidade… eles estão simplesmente a ter coisas muito mais importantes para fazer do que dormir! Só isso! Coisas mais divertidas e muito mais estimulantes! Há, de facto, uma enorme coincidência entre saltos de desenvolvimento e “problemas” no sono. A boa notícia é que normalmente é mesmo uma fase – PASSA! 😀

Claro que esta perspectiva positiva e optimista é complicada de ter no meio de dias que se tornam caóticos e em que pensamos ” O que aconteceu ao meu rico filhinho que dormia tão bem??”. Por isso, aqui ficam algumas dicas.

  1. CONSISTÊNCIA Ser consistente nem sempre é fácil, mas é importante ir tentando manter os horários e as rotinas, mesmo quando estas parecem ter deixado de funcionar. Ofereça-lhe os mesmos hábitos de sempre. Se o seu bebé ficar agitado e der sinais de que não quer parar para dormir, retire-o da cama, brinquem um pouco e volte a tentar passado um pouco. Manter-se consistente vai ajuda-lo a regressar à “normalidade” assim que ele estiver pronto.
  2. SEJA FLEXÍVEL Não é uma contradição – mas pode parecer. 🙂 É importante ser consistente, mas quando percebemos que o nosso bebé está demasiado cansado e sem conseguir dormir por demasiadas horas, mais vale que durma de qualquer outra forma – seja no carrinho, no passeio, no sling ou marsúpio… – mas que descanse.
  3. SEJA PACIENTE Eu sei…bastam uns dias diferentes e as coisas parecem-nos logo mais negras. Torna-se complicado manter a calma ou a paciência. Sei que é duro, mas permaneça calma, confie no seu bebé porque as coisas voltam quase sempre ao normal sem ser preciso grande intervenção nossa.
  4. DEIXE QUE O SEU BEBÉ CRESÇA Quase sempre estas alterações específicas prendem-se com saltos de desenvolvimento. Convém, por isso, ajudar o bebé a explorar o seu novo potencial durante o dia, para que possa dormir melhor de noite. No caso dos 5 meses e meio, por exemplo, sempre que o seu bebé estiver acordado e bem disposto, aproveite para o colocar num tapete ou numa manta para que ele pratique as suas novas conquistas como o rolar. Ou, posteriormente, numa fase de aprendizagem de gatinhar, deixe-o explorar sem impor grandes limites excepto, claro, os que dizem respeito à segurança. E divirta-se ao vê-lo crescer!

E por aí? Sentiram alterações deste tipo? O que fizeram? Desesperaram? Esperaram? Vá lá… contem-me!

 

 

Trackback from your site.

You might also like

Comments

  • Sandra

    Written on 20 Junho, 2017

    Responder

    Por aqui a greve começou agora aos oito meses. Já está na creche e ao fim de semana, por vezes, não quer fazer as sestas. Somos flexiveis… E depois as noites nem sempre correm bem. Já percebe que é fim de semana e pode brincar o dia todo com os pais. O problema é que chegamos a segunda feira ainda mais cansados…

Leave a Reply