Os dentinhos e o sono – existe ou não uma relação?

when-will-baby-start-teething-smile-2160x1200
“Não acredito em bruxas, mas que as há há!” Acho que podemos aplicar o mesmo raciocínio aos dentes nos bebés!

Os dentes são um tema quente para nós pois todas sabemos que em momentos de nascimento de dentinhos os nossos bebés ficam… digamos, fáceis, fáceis. Não resmungam, não choramingam, dormem lindamente, não se babam, não estão desconfortáveis… enfim… estão no seu melhor.

Haverá mães por aqui que acreditam piamente nisto? Sei que sim! Há bebés que passam pelos dentinhos como quem não passa por nada! Já há outros que valha-nos Deus! Febres, mal-estar, diarreias, otites e noites longas com choro e despertares frequentes.

Mas quando falamos com o pediatra ou médico de família invariavelmente ouvimos o mesmo: o nascimento dos dentes não causa nada disso!

O QUÊ?!

Das duas uma; ou é uma conspiração dos médicos para que nós, mães, não desistamos de continuar a contribuir para o aumento da taxa de natalidade ou os médicos não têm filhos, logo nunca passaram por estas “coincidências”!

No entanto, e se formos ficar atentas ao que nos mostra a ciência, temos de dar a mão a palmatória. Os dentinhos começam normalmente a nascer pelos 6 meses (normalmente, sim? cá em casa tive um filho como “manda a regra” em relação aos dentes e uma filha que teve o primeiro dente aos 12 meses!) e podem causar alguma irritabilidade nos bebés. Este alguma é mesmo descrito assim… como se fosse algo bem pequeno. Aliás, os especialistas concordam entre si que os pais se recusam a acreditar que os sintomas são apenas ligeiros. (Porque será?!)

É certo que vários estudos mostram que enquanto os dentinhos nascem os bebés podem babar-se mais, chuchar (mais) nas mãos, esfregar as gengivas…mas que não causam febre, infecções ou diarreias. Bebés que sofrem com febre, vermelhidão ao redor da boca, tosse, perda de apetite, diarreia e alterações no sono sofrem de outras questões que não relacionadas com os dentes. Pelo menos é que os médicos nos dizem. Se os bebés têm estes sintomas devem ir ao médico de família ou pediatra pois não estão relacionados com o nascimento dos dentes. Na realidade não há provas de que os dentes causem qualquer um destes sintomas e há apenas ligeiras evidências que possam causar alguma dor moderada.

Um bocado irritantes estes estudos, certo? Mas há mais… as mesmas investigações indicam que os sintomas possíveis relacionados com o nascimento de dentes não duram mais do que uns dias. Os bebés não passam semanas aflitos com o nascimento de dentes. (Sério?!) E se acreditamos que esse desconforto está a incomodar o sono do seu bebé é importante termos em consideração que este deverá passar em poucos dias.

Não sei como é a vossa experiência… mas o meu primeiro filho tinha otites e ficava constipado sempre que estavam para lhe aparecer dentes. Foram muitas otites, acreditem! Sim… já sei que são apenas coincidências. Daquelas bem estranhas que só as mães vivenciam, mas que não têm qualquer justificação num mundo científico.  Já a minha filha fica ranhosa, com tosse e febre sempre que estão para lhe nascer os dentes – que no caso dela são aos 5 ou 6 de cada vez. Mas sim… é coincidência infeliz.

Mas afinal como é que os dentes nascem? Ao contrário do que imaginamos não se trata de um processo digno da Inquisição, onde os dentes andam a “cortar” os ossos e/ou as gengivas provocando atentados truculentos ao bem-estar dos nossos bebés. O osso remodela-se para permitir ao dente nascer. E as gengivas simplesmente movem-se para deixar que o dente passe. Esta é a explicação encontrada quando falo com dentistas! Desculpem,  a explicação de que a gengiva se move para deixar o dente passar, tal como as portas de um salão de baile se abrem à passagem dos convidados é no mínimo surreal! Gozam com a nossa cara de mães!

Então como ajudar o bebé nesta altura? Numa altura em que eles não precisam de ajuda, mas que nós mães preocupadas e stressadas queremos ajudar na mesma? Há algumas pomadas ou gel nas farmácias que prometem ajudar a minimizar o desconforto. Há pais que também oferecem medicação para as dores – sempre sob conselho do médico. Há pais que preferem terapias alternativas como remédios homeopáticos ou aromaterapia… e inclusivamente há quem coloque colares de âmbar nos bebés para reduzir os sintomas… mas não há qualquer prova científica do resultado destes colares além de que há riscos de sufocamento para o bebé.

Consultem o médico de família/pediatra antes de usarem medicação, ervas, suplementos, oléos, chás, etc… E atenção… Alterar as rotinas de deitar por algumas noites pode vir a causar alguns problemas no sono pois os pequeninos precisam de muito pouco tempo para se ajustarem a novas rotinas e hábitos. Por isso, mantenham a vossa ordem familiar dentro do possível. Mais miminhos (ainda mais!), mais paciência (ainda mais!), mas tentem não mudar demasiado a vossa estrutura para que assim que passe esta fase critica seja fácil para o bebé voltar a seu estado habitual.

Eu sei que há quem nos diga que as dores de dentes não existem. Como profissional é nisso que tenho de acreditar. Mas como mãe vou ter de assumir que não acredito nelas, mas que existem… ah isso existem! pelo menos cá em casa!

Podem ler mais sobre o assunto por aqui:
1) https://healthychildren.org/English/ages-stages/baby/teething-tooth-care/Pages/Teething-Pain.aspx
2)http://www.slate.com/articles/life/the_kids/2015/05/teething_symptoms_in_babies_are_not_as_bad_as_parents_think.html
3) http://moderndentistrymedia.com/sept_oct2010/tsang.pdf
4)https://cchp.ucsf.edu/sites/cchp.ucsf.edu/files/teethingen1105.pdf
5) https://healthychildren.org/English/ages-stages/baby/teething-tooth-care/Pages/Teething-4-to-7-Months.asp
6)https://www.fda.gov/NewsEvents/Newsroom/PressAnnouncements/ucm523468.htm
7) https://sciencebasedmedicine.org/amber-waves-of-woo/
8) https://sciencebasedmedicine.org/separating-fact-from-fiction-in-pediatric-medicine-infant-teething/

Trackback from your site.

You might also like

Leave a Reply