Somos todas Mães!

famiilia feliz

“Filipa, tenho a sorte e a felicidade de ter uma bebé super tranquila que dorme toda a noite desde o segundo mês de vida. E os primeiros 2 meses só acordava 1 vez.. Talvez porque mesmo sem ainda ter ouvido falar de si o meu instinto me tivesse levada a adotar quase todas as “técnicas” de que fala..
Mas por isso ouço constantemente dizer que não sei o que é ser mãe por ter tido a bebé por cesariana e ainda por cima porque a bebé dorme toda a noite e não dá quase trabalho nenhum..
Não me sinto menos mãe por causa disso e sei que isso nem devia ser posto em causa.
Mas.. Será que podia fazer um post onde falasse acerca disso? Acerca das mães que dormem bem porque os filhotes dormem bem.. E não somos menos mães por isso…
Obrigada”
Chegam-me muitas vezes mensagens como esta. Ou de Mães que me colocam dúvidas sobre o sono dos seus filhos apenas para ajustar pequenas coisas. Não têm “coragem” de perguntar publicamente porque receiam “ser mal interpretadas” por terem filhos que dormem bem.
Mães que me dizem que são apontadas porque ensinam bons hábitos de sono desde cedo aos seus filhos. As Mães que a medo me dizem que a razão da sua cesariana foi “porque assim o quiseram” ou que se desmancham em explicações para me dizer que decidiram parar de amamentar aos X meses.
Ou Mães que têm escolhas que não vão ao encontro do que seria o “expectável” do “mundo perfeito”.
Os temas são quase sempre os mesmos: o sono e a amamentação (e, menos vezes, o parto). São os temas “quentes”, que geram polémica, que dividem, que – infelizmente muito frequentemente – agridem.

Pois, no meu ponto de vista…e que fique bem claro…
As Mães que escolhem (sim! Escolhem!) cesariana são 100% Mães.
As Mães que fazem cesariana porque “tem de ser” são 100% Mães.
As Mães que têm partos normais, demorados, dolorosos, rápidos, com ou sem anestesia, no hospital ou em casa, na água ou numa marquesa são 100% Mães.
As Mães que amamentam em exclusivo até aos 6 meses e continuam a amamentar até aos 2 anos ou mais são 100% Mães. As Mães que escolhem (sim! Escolhem!) não amamentar são 100% Mães.

Tal como o são as Mães que não o conseguem fazer (e não vale a pena a conversa do “claro que consegue, todas as mulheres conseguem” porque a amamentação tem também muito de emocional e cada mulher é que sabe o que consegue ou não fazer).
As Mães (Sortudas!! ☺ ) que têm filhos dorminhocos são 100% Mães.
Como o são as Mães que não dormem há 2, 3 ou 4 anos uma noite completa.
As Mães que ensinam os filhos a dormir são 100% Mães da mesma forma que o são as Mães que esperam pelo dia em que o seu filho irá querer dormir bem.
Falo como Mãe. Como mulher que teve um primeiro parto normal e bem demorado. Um segundo induzido e sem anestesia – não houve tempo!  Falo como mãe  que amamentou. E como mãe e mulher que   escolheu parar de amamentar. E como pessoa que todos os dias está com mães. E famílias.
Porque ser Mãe é muito mais do isso!

Há Mães que o são sem serem sequer Mães de sangue.

E não, não me parece nada que mães que não dormem e que escolhem não fazer nada em relação a isso sejam melhores mães.
As pessoas tendem a confundir o “sacrífico” com o Amor. Quanto mais difícil é, melhor mãe eu sou.
Ser-se Mãe é maravilhoso. Pode ser mais fácil ou menos fácil de acordo com a vida que temos, o contexto familiar, a personalidade e características dos filhos e dos pais. Mas é maravilhoso.
Mas por alguma razão tendemos sempre a comparar, a competir, a achar que o meu filho é melhor porque dorme bem, come bem, toca piano e fala francês. Ou que somos melhores mães porque não dormimos, não temos tempo para nada, vivemos para os filhos e não nos importamos com o facto de não descansarmos porque ser-se mãe “é isso mesmo”.
Ser-se Mãe é o melhor do Mundo. Mas dá TRABALHO. Muito! Obriga-nos a escolhas. Faz-nos colocar de lado ou deixar para trás coisas que nos davam prazer. Tira-nos do sério. Mesmo que os nossos filhos durmam bem. Por isso, a todas as mães que dormem, só posso dizer APROVEITEM!
A todas as outras, sejam felizes. Aproveitem os vossos filhos. Ensinem-nos a dormir se sentirem que para a vossa família faz sentido. Procurem ajuda se precisarem. E não percam pitada (ou tentem não perder) do crescimento dos vossos pequeninos.

Porque ser-se Mãe é também isso. É estar presente.
É amar.
É cuidar.
É como o Amor: não se explica.

Trackback from your site.

You might also like

Leave a Reply