E quando o Colo é “demais”?

008e05a2-5bbd-467b-af69-2fec063d8cdb

(Antes de me crucificarem leiam até ao fim.)

O meu filho tem 9 anos, 1,40m e pesa 30kg. Pede-me algumas vezes colo.  As minhas costas odeiam, mas o meu coração de mãe babada adora.

A minha filha tem 5 anos e é uma magricela. Dar-lhe colo é muito fácil e sabe tão bem. Ela agarra-se com as suas pernas à volta da minha cintura e fica, assim, tipo macaquinha, encostada a mim.

Se “ainda” lhes dou colo? Claro.

Para mim, colo é acolhimento. E os meus filhos terão o meu disponível mesmo em adultos, pois os meus braços e coração vão sempre estar abertos com amor para eles. Literalizar o Colo é reduzi-lo a uma posição física de demonstração de cuidado e afecto.

Hoje, em consulta, uma mãe chorava inconsolável. Há 21 meses que embalava a sua filha mais nova para adormecer. Era, segundo ela, a única forma de conseguir que ela dormisse e tinha sido assim desde o nascimento. Além da tendinite e das dores nas costas, sentia falta de estar com a sua filha de 5 anos. Todos os dias ficava cerca de 45m com a pequena no colo, embalando e cantando. Depois de a pousar na cama acordava de 2h em 2h de noite para ser embalada novamente.  Dormia na cama dos pais, mas isso não impedia que mãe ou pai tivessem de se levantar de noite para lhe dar colo.

Mas e o colo aqui não deveria ser suficiente? No meu ponto de vista era demais e impedia esta mãe de oferecer o verdadeiro Colo a esta bebé: o Colo disponível de afecto, cuidado e amor. Aquele que conseguimos dar se estivermos física e emocionalmente disponíveis. Aquele que damos em pleno, não este movimento que muitas mães fazem forçadamente, reféns dele para que os filhos durmam.

Ao longo dos últimos 8 anos encontrei-me com milhares de famílias. Demasiadas passam por isto. E ao longo destes anos os “críticos”, os trolls, os donos da verdade afirmam a pés juntos que dar colo para dormir é o certo e que ensinar a dormir de forma autónoma é desrespeitador do bebé. Frases lindas e cliché como “o colo nunca é demais” são, no meu ponto de vista, apenas isso: soundbites para as redes sociais que arrancam muitos “likes”.

Sim… por vezes o colo (o literal, não o figurado) pode mesmo ser demais. Pode impedir não só o tão necessário descanso da família, mas também o Colo verdadeiro e sentido, tão necessário no correcto desenvolvimento emocional das nossas crianças.

Trackback from your site.

Leave a Reply